Filhos de Deus e filhos do diabo

Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus.


1 João 3:8-10


Existe um adágio popular o qual estabelece que "todos são filhos de Deus", mas a bíblia nos traz uma verdade diferente, porque claramente ensina que há uma diferença entre os filhos de Deus e os filhos do diabo.


Os filhos de Deus são aqueles que nasceram de novo, nasceram da água e do Espírito, ou seja, passaram pela regeneração (Jo 3:1-7). O novo nascimento traz consigo uma nova natureza, ou seja, a velha vida de pecados é abandonada para viver uma nova vida em Cristo (2 Co 5.17). Esta nova natureza é contrária à prática do pecado, porque aquele que é nascido de Deus não vive pecando. (1 Jo 3.6).


O evangelho que tem sido pregado hoje em dia por muitos, considera que o homem não precisa de mudança de vida, mas, precisa tão-somente levantar a sua mão em um culto público, frequentar um templo religioso, cantar alguns corinhos no domingo e entregar os seus dízimos e ofertas, quando na verdade a palavra de Deus é enfática em afirmar que o novo nascimento implica em uma nova natureza.


Desta forma, compreendemos que aquele que é nascido de Deus evidencia o novo nascimento através de frutos dignos de arrependimento (Mt. 3.8). Quem é nascido de Deus mostra pela produção do fruto do Espírito (Gl. 5.22), e não se conforma em viver uma vida de pecado, mas busca transformar-se pela renovação da sua mente através da palavra de Deus. (Rm. 12.2).


Destarte, podemos afirmar, sem nenhuma dúvida, que existe diferença entre os filhos de Deus e os filhos do diabo, e esta diferença está na repulsa que os nascidos de Deus possuem pela prática do pecado. Aqueles que são nascidos de Deus pecam, mas não se conformam em viver uma vida de pecado, estão sempre ouvindo a voz do Espírito Santo e se arrependendo de suas obras más. (1 Jo 1:8-110).


Os filhos do diabo são aqueles que têm prazer em uma vida de pecado, principalmente se esta vida pecaminosa é secreta. O joio e o trigo crescem juntos e são separados apenas no momento da ceifa, para que não haja prejuízo para o trigo e o joio seja lançado no fogo (Mt. 13:30).


Nos templos religiosos, especialmente os templos evangélicos, muitas pessoas se consideram filhos de Deus, mas vivem uma vida de pecado sem nenhum constrangimento. Para estes, a bíblia nos autoriza dizer que não são filhos de Deus, porque não produziram frutos dignos de arrependimento.


Uma das características da igreja apocalíptica de Laodicéia, era imaginar que estava vivendo uma vida que agradava a Deus, porque possuía muitos bens e não tinha falta de nada (Ap. 3.17). Alguns, hoje dia, confundem uma vida sem nenhuma falta com uma vida abundante em Cristo. Muitos têm a mesma percepção que os amigos de Jó tinham: quem tem uma vida sem problemas está agradando a Deus e quem passa por dificuldade está em pecado.


O problema da igreja de Laodicéia é que ela não conseguia enxergar a sua real condição espiritual diante de Deus, porque enquanto ela se considerava uma igreja bem sucedida, Deus a considerava desgraçada, miserável, pobre, cega e nua. O conselho de Deus para a igreja de Laodicéia era que comprasse ouro provado no fogo, vestes brancas, e colírio (Ap. 3.18)


O ouro provado no fogo significa verdadeira riqueza diante de Deus, os bens que ninguém pode roubar (Mt. 6.20). As vestes brancas significam as obras de justiça dos santos, que são as roupas brancas de linho puro dos salvos (Ap. 19.8). E o colírio é o resultado de enxergar a vida através de uma nova perspectiva e perceber a nossa real condição espiritual diante de Deus, especialmente daqueles que precisam abandonar a prática do pecado para que se tornem, verdadeiramente, filhos de Deus.


Concluímos, portanto, que os filhos de Deus não vivem na prática do pecado, mas, praticam a justiça e amam o seu irmão (I Jo. 3.10).


É preciso esclarecer essa verdade: nem todos são filhos de Deus. Apenas são filhos de Deus aqueles que aborrecem um estilo de vida pecaminoso e vivem uma nova vida em Cristo, buscando agradar a Deus (1 Ts. 4.1).


Que Deus em Cristo nos abençoe.


Ev. Sylmar Ribeiro Brito



14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo