top of page

O princípio da mutualidade na igreja

Que fareis pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.



No corpo de Cristo um de nós possui uma função e todos podem ser usados para a edificação dos membros da igreja. Quando ocorre o ajuntamento dos irmãos, podemos ser instrumento de edificação do próximo, colocando em prática os nossos dons e talentos a serviço da comunidade.


Devemos buscar os melhores dons para edificação da igreja. Existem muitos dons à disposição dos irmãos que são concedidos pelo Espírito Santo quando pedimos, pois quando oramos com fé e suplicamos a misericórdia de Deus, certamente o dono da obra envia ceifeiros com ferramentas apropriadas para a seara.


Evidentemente que no princípio da mutualidade, aquele que edifica também é edificado. Não devemos imaginar que recebemos ferramentas espirituais apenas para nos sentirmos importantes, porque este seria um pensamento equivocado. Tampouco devemos imaginar que apenas quando somos usados há edificação no corpo de Cristo, porque o Espírito Santo pode usar todos que se dispõe.


A edificação da igreja ocorre em vários momentos da liturgia do culto. Quando alguém canta, há edificação de quem ouve. Quando alguém prega, há edificação de quem ouve, quando ocorre a língua estranha com interpretação, há edificação e também quando há revelação.


Notemos que a língua estranha com interpretação e a revelação devem fazer parte da liturgia do culto, desde que com decência e ordem. A solução para o exagero e infantilidade no uso dos dons espirituais não é a proibição, mas a doutrinação da igreja para usá-los com moderação a fim de não causar escândalo aos presentes no culto público.


No princípio da mutualidade existe a necessidade de nos dispormos para sermos utilizados por Deus para o o cumprimento do seu propósito na comunidade na qual estamos inseridos, de forma que cada um deve buscar uma maneira de ser útil na obra do Senhor, não apenas para agradar a Deus, mas também para ser instrumento de edificação dos irmãos.


Sendo assim, compreendemos que não existem duas igrejas, uma que "assiste" o culto e outra que faz a obra. A igreja é uma só, e todos devemos nos envolver com as atividades eclesiásticas para edificação dos membros da igreja, com os dons e talentos concedidos pelo Espírito Santo.


Que Deus em Cristo nos abençoe,


Ev. Sylmar Ribeiro Brito

9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page