Contra ataques espirituais. Cuidado!

Porque não ignoramos os seus ardís.


2 Coríntios 2:11



Tenho meditado acerca deste tema, porque a atividade de pregador tem me mostrado a realidade dos contra ataques no mundo espiritual, por este motivo, espero que esse texto possa ajudar pessoas que estejam na linha de frente do bom combate para evitarem os danos que podem ser causados à alma.


Inicialmente, é necessário aduzir que o bom combate proporciona recompensa pela certeza do desempenho da vontade do Senhor, portanto, dá prazer à alma saber que estamos sendo dirigidos pelo Espírito Santo para cumprir nosso propósito aqui. Essas palavras são necessárias, para que as orientações posteriores não sirvam como desmotivação à prática da pregação da palavra e outras atividades de natureza combativa no plano espiritual.


Dito isto, alguns alertas são necessários, notadamente acerca das retaliações que ocorrem no mundo espiritual quando combatemos os poderes das trevas. Entendamos que ao pregarmos a palavra de Deus, intercedermos, evangelizarmos, discipularmos alguém ou realizamos qualquer atividade na frente da batalha espiritual, estamos confrontando diretamente o inimigo das nossas almas e suas hostes malignas.


O apóstolo Paulo advertiu a igreja que a nossa luta não é contra a carne e sangue, mas contra os inimigos espirituais do reino invisível das trevas (Ef. 6.12). Sendo assim, quando nos dispomos à batalha espiritual, é razoável esperarmos retaliações e contra ataques, porque estamos combatendo contra aqueles que querem nos fazer parar e se possível, até mesmo nos destruir.


Não é incomum que após pregarmos, desçamos do púlpito esgotados e ainda tenhamos que lidar com situações inesperadas de contra ataques espirituais, como por exemplo: afronta de pessoas próximas, setas malignas na mente como maus pensamentos, prejuízos materiais, dores no corpo, sensação de opressão maligna, etc.


Uma grande dificuldade é que somos atacados após a pregação da palavra ou outra atividade de combate, quando estamos em uma situação de maior vulnerabilidade, porque estamos esgotados e vazios espiritualmente, já que normalmente deixamos tudo no altar. Nessa hora as forças parecem sumir, portanto, para que tenhamos maior êxito contra os ataques malignos é necessário observar alguns pontos de grande relevância:


1) Não pregue sobre temas que você ainda não foi curado - Se você está sendo tratado em alguma área da sua vida, não é sábio pregar aos outros sobre aquilo que você mesmo ainda não venceu, principalmente porque fatalmente você sofrerá contra ataques espirituais na área que você pregou, e se você ainda não foi curado estará vulnerável e infelizmente sofrerá dano. Existem muitos temas a serem pregados, ore a Deus e busque orientação do Senhor para pregar sobre assuntos que você não enfrenta dificuldades espirituais ou que já foi tratado e venceu.


2) Revista-se a armadura de Deus antes de entrar no campo de batalha espiritual - Não deixe para buscar revestimento apenas poucos minutos antes da pregação, busque revestimento em oração antes da pregação como preparação para proteger dos ataques que ocorrerão após o combate espiritual. Na carta aos Efésios, no capítulo 6, o apóstolo Paulo recomendou que sejamos fortalecidos no Senhor e lancemos mão da armadura de Deus para permanecermos firmes após os embates no mundo espiritual.


3) Permaneça em espírito de oração e vigilância após o combate espiritual - Após a pregação da palavra, intercessão, evangelização ou outra atividade de combate espiritual devemos manter a guarda alta, ou seja, manter a atenção redobrada para os possíveis contra ataques espirituais e evitar quaisquer pessoas ou situações que podem representar perigo espiritual contra as nossas vidas. Evite lugares que possam levá-lo a pecar, pessoas que possam fazer algum tipo de afronta, assuntos que possam levar a discussões, assistir conteúdos que possam favorecer setas na mente. É preciso descansar após os combates espirituais e clamar pela cobertura do sangue de Jesus sobre as nossas vidas e nossas famílias.


4) Busque orientação em Deus acerca das batalhas espirituais que você deve enfrentar - Muitas vezes sofremos dano porque lutamos em batalhas as quais não deveríamos participar. Nem todas as batalhas espirituais precisam da nossa participação, em algumas ocasiões, pode ser o próprio Deus que está enviando castigo a alguém, e certamente não é sábio lutar contra Deus. Peça orientação do Senhor acerca das batalhas espirituais, se realmente devemos ou não ingressar para ajudar na linha de frente, para evitar lutarmos em guerras espirituais que não devemos participar, porque trarão apenas prejuízo para as nossas almas.


5) Recomponha-se espiritualmente após a atividade combativa - Após o combate espiritual procure se recompor. Não seja um ativista religioso, que vive intensamente atividades de combate espiritual sem tempo para ter uma vida com Deus. Ninguém consegue ajudar os outros em batalhas espirituais se não cuidar de si mesmo em primeiro lugar. O apóstolo Paulo recomendou a Timóteo o autocuidado como forma de ser um servo de Deus mais eficiente. (I Tim 4:16). Procure se recompor espiritualmente antes de partir para o próximo combate espiritual, não faça a obra de Deus esgotado, porque a vulnerabilidade é muito grande e o risco de padecer nos contra ataques espirituais, nessas condições, é real.


Concluo afirmando que o rol estabelecido acima é apenas exemplificativo, mas pode ser útil para aqueles que ignoram a realidade dos contra ataques espirituais. Infelizmente muitos homens e mulheres de Deus sucumbiram na caminhada por falta de prudência nesse quesito, pois se tornaram ativistas religiosos e não buscaram orientação do Senhor quanto às precauções que envolvem o bom combate.


Que Deus em Cristo nos abençoe,


Ev. Sylmar Ribeiro Brito

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo