ANULANDO SOFISMAS IV - A VERDADE QUE LIBERTA

Atualizado: 10 de out.

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

João 8:32



Os sofismas são meias-verdades que estão sendo pregadas e ensinadas dentro das igrejas, neste caso específico, porque estamos discorrendo sobre os sofismas nessa ótica eclesiástica. Tem ocorrido uma negligência muito grande com a palavra de Deus em muitos púlpitos cristãos, porque em determinados lugares o entretenimento e as palestras motivacionais ocuparam o lugar da palavra de Deus, ou seja, o ensino bíblico não está sendo valorizado como deveria.


A igreja primitiva cresceu e impactou a sua geração porque a ênfase era o ensino apostólico, ou seja, os integrantes da igreja primitiva bebiam de uma fonte de água limpa (At. 2.42). O caso é que hoje em dia, muitos vão à igreja sedentos por uma palavra que venha do trono, porém voltam sedentos, ou porque a água era misturada, com gosto salobro, ou porque tratava-se de cisternas rotas. (Jr. 2.13).


Os cristãos estão tentando satisfazer as suas necessidades espirituais do seu próprio modo, com cânticos antropocêntricos, pregações antropocêntricas e ensinos antropocêntricos. O bem estar do homem se tornou o centro do evangelho moderno. Se o homem estiver sentido-se confortável na igreja e se a palavra pregada não ofendê-lo de forma alguma, e mais, se a palavra pregada for atraente do ponto de vista humano, eis aí o evangelho da atualidade.


A verdade da palavra de Deus muitas vezes ofende o pecador, por confrontar os seus pecados. Porém muitas igrejas hoje em dia querem se tornar amigas do mundo, contrariando o ensino do apóstolo Tiago (Tg 4.4). O grande problema é que nas igrejas onde as verdades da palavra de Deus são negligenciadas para fazer um acordo de não hostilidade com o mundo, a outra opção automática é ter a inimizade de Deus. Qual é o pior cenário?


Existem muitas pessoas aprisionadas em seus pecados por causa dos sofismas que são pregados e ensinados por aí, porque a liberdade/libertação só pode ocorrer através do ensino completo das verdades bíblicas. A liberdade apenas ocorre quando o pecador é notificado que o seu pecado faz separação com um Deus que é santo. Mas caso o pecador frequente um ambiente no qual é ensinado que pode ficar com a consciência tranquila com relação ao seu pecado e que existe uma tolerância incondicional de Deus em virtude de um amor de conto de fadas, não haverá libertação para esse homem/mulher.


Essas reflexões podem parecer óbvias, mas são extremamente necessárias, porque a igreja precisa novamente se voltar para a pregação e ensino da bíblia sem negligência dos trechos que combatem o pecado. Não podemos pincelar os textos das escrituras sagradas e imiscuir entendimentos humanos e ensiná-los como se aquela fosse a verdade completa, porque por meio dessas sofismas (meias-verdades) muitos são enganados e sentem-se confortáveis nas igrejas com os seus pecados, porque nunca são confrontados nos seus erros.


Não existe um fundamento bíblico para que a igreja se torne amiga do mundo, isso nunca vai acontecer pela vontade de Deus, porque o sistema do reino de Deus é diametralmente oposto ao sistema mundano. Não podemos deixar de pregar e ensinar as verdades eternas com o intuito de não desagradar A ou B, porque dessa forma estaremos desagradando o próprio Deus (Gl. 1.10).


É tempo de levantarmos com toda a força que nos resta a bandeira do verdadeiro evangelho, sem omitir nenhuma verdade, porque as crianças estão sendo atacadas com sofismas nas redes sociais e nas escolas, os adolescentes estão sendo atacados com sofismas e mentiras descaradas nas redes sociais e nos bancos escolares e acadêmicos, os jovens estão sendo atacados com sofismas nas redes sociais, trabalho, escolas e faculdades e resta apenas a igreja para apontar o caminho da verdade.


O momento é de sermos sal e luz, de fazermos a diferença com as verdades do evangelho. A igreja não é propriedade de homem algum, e ninguém, absolutamente ninguém está autorizado a distorcer a mensagem do evangelho sob o pretexto de estar angariando simpatizantes para a causa de Cristo. Deus não deseja que a igreja acrescente simpatizantes do evangelho aos seus arraiais, Deus quer a transformação do pecador em nova criatura (2 Co 5.17). A transformação do pecador apenas pode ocorrer pela pregação das verdades bíblicas e pelo confronto dos pecados, ainda que sejamos rejeitados, criticados, escarnecidos, maltratados, etc. Porque aqueles que vieram antes de nós pagaram um alto preço em virtude de não negociar com o mundo as verdades eternas.


Que Deus em Cristo nos abençoe

Ev. Sylmar Ribeiro Brito



2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo