ANULANDO SOFISMAS III - CUMPRINDO A PALAVRA

Atualizado: 10 de out.

E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.


Tiago 1:22



Conforme já explicado anteriormente, os sofismas constituem meias-verdades, ou seja, são argumentos que parecem verdadeiros e bons, mas que no fundo apenas enganam as mentes daqueles que não tem o real desejo de obedecer à palavra do Senhor. Não é segredo para ninguém que os púlpitos de muitas igrejas estão recheados de pessoas que estão pinçando textos agradáveis da bíblia para pregarem a fim de não serem confrontados ou até mesmo desprezados pelos ouvintes se optarem por uma pregação mais dificultosa de ouvir.


Muitos dos pregadores e ensinadores de bíblia da geração atual buscam agradar os ouvintes com palavras lisonjeiras, então escolhem cuidadosamente textos bíblicos que não causarão nenhum desconforto "à platéia" que ocupam os tempos, que hoje em dia parecem mais teatros com espectadores ávidos pela próxima atração. Então, após ouvirem uma pregação ou um ensino cheio de filosofias humanas, conceitos de autoajuda ou palavras de afirmação, saem com os olhos marejados, porque apesar de estarem vivendo uma vida de pecado, ouviram um agradável discurso que não confronta nada de errado que estão fazendo.


Mas nas raras ocasiões em que pregadores ou professores de bíblia, corajosos, proferem discursos que confrontam pecados, são tachados de extremistas e desprezados pelos ouvintes, normalmente com base na frase: "não é bem assim..." Quando se prega, por exemplo, contra práticas de imoralidade sexual na juventude, como o sexo antes do casamento, que pode atrair a ira de Deus, conforme disposto na carta aos colossenses capítulo 3, versículo 6, os jovens dizem: "não é bem assim, a sociedade de hoje em dia é outra..."


Quando se prega ou ensina-se sobre a necessidade de o homem assumir o papel de cabeça da família e direcionar os filhos e a esposa a cumprirem a vontade do Senhor usando a autoridade conferida pela bíblia, conforme está escrito na primeira carta aos coríntios capítulo 11 e versículo 3, muitas mulheres cristãs feministas e até mesmo muitos homens dizem: "não é bem assim, a sociedade de hoje não é tão machista como antigamente..."


Nas raras oportunidades em que se ensina nas igrejas do Brasil e do mundo afora, que Deus odeia o divórcio e que o casal cristão não pode abandonar a união matrimonial por motivos fúteis, conforme está escrito no livro do profeta Malaquias capítulo 2 e versículo 16, muitos líderes cristãos, além de homens e mulheres que se divorciaram sem justificativa plausível dizem: "não é bem assim, precisamos contextualizar as escrituras."


Nas vezes em que é ensinado que as crianças precisam ser corrigidas pelos pais para que não se tornem adultos insensatos e tolos no futuro, e se preciso for, até mesmo com a vara da correção, como está escrito nos provérbios de Salomão capítulo 23 e versículo 14, alguns se levantam no meio da congregação e dizem: "não é bem assim, as leis mudaram, a psicologia infantil mudou..." etc.


Em virtude desses sofismas de pessoas que estão inchando as igrejas atrás de bênçãos, palavras agradáveis e egos massageados, que os cristãos modernos estão cada vez mais parecidos com o mundo. Os crentes possuem a palavra de um Deus imutável, mas insistem e basear suas vidas em conceitos mundanos, porque muitas vezes são ouvintes, mas não são cumpridores da bíblia acabando por enganarem-se a si mesmos com os sofismas que tem criados para aliviar as dores das suas consciências.


Nós precisamos nos voltar para a palavra de Deus, sem maquiar as verdades eternas, ensinando o povo as verdades que confrontam, mas que transformam o caráter. Não podemos aceitar que no lugar do ensinamento das escrituras, o púlpito seja ocupado por pessoas que ensinam filosofias vãs e conceitos de autoajuda, principalmente porque estamos vivendo numa época em que as pessoas estão indo às igrejas mas não estão encontrando a palavra de salvação sendo pregada, mas tão-somente palavras de conforto emocional.


Que Deus nos ajude a ouvir, ler e meditar na palavra e procurar cumprir o que está escrito. É claro que se trata de um enorme desafio no meio de uma sociedade tão pecaminosa, mas não podemos nos enganarmos a nós mesmos, criando sofismas com base na frase "não é bem assim", mas ao contrário, precisamos aceitar as verdades da bíblia, ainda que ela faça feridas na nossa alma, porque tais feridas são para a a nossa saúde espiritual e para a salvação do fogo do inferno.


Que Deus em Cristo nos abençoe,


Ev. Sylmar Ribeiro Brito

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo