A nossa estrutura

Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó.


Salmos 103:14



Este versículo deve falar aos nossos corações para que saibamos sempre olhar para a nossa estrutura e lembrarmos que somos pó. Conforme escreveu o apóstolo Paulo na carta aos filipenses, no capítulo 2 e versículo 3, cada um deve considerar os outros superiores a si mesmos. Porém, nesse mundo hedonista em que vivemos, no qual a imagem das conquistas e do prazer estão estampados nas redes sociais, está cada dia mais difícil observar a prática da palavra de Deus nesta particularidade de considerarmos os outros superiores a nós mesmos, especialmente pela competitividade que tem sido acentuada pela vaidade crônica que permeia essa sociedade atual.


No âmbito eclesiástico não está muito diferente, porque os cristãos também estão sendo contaminados pelos ditames do mundo no que diz respeito à rivalidade e competitividade, deixando de praticar a humildade determinada em Fp. 2,3: "Nada façais por rivalidade nem por vaidade; pelo contrário, cada um considere, com toda a humildade, as demais pessoas superiores a si mesmo."


Infelizmente muitos estão caindo na armadilha de buscar o destaque, a importância, sem meditar no versículo acima transcrito, pois o apóstolo Paulo recomenda na carta aos romanos, capítulo 12 e versículo 3, que não nos consideremos melhores do que realmente somos, mas devemos compreender que a nossa estrutura é limitada. Somos seres dependentes da misericórdia de Deus diariamente, "Com base na graça que recebi, dou a cada um de vocês a seguinte advertência: não se considerem melhores do que realmente são. Antes, sejam honestos em sua auto avaliação, medindo-se de acordo com a fé que Deus nos deu."


Deus está nos alertando por meio dos acontecimentos acerca da necessidade de quebrantamento. É tempo de colocarmos o nosso ego de lado e buscarmos ao Senhor. Precisamos nos lembrar que somos pó e pedir ao Senhor direção para as nossas vidas, nossos ministérios, nossas atividades, porque a autossuficiência do homem tem o levado a perceber, a cada, dia que somos pó.


É possível que tenhamos sido feitos do pó da terra (Gn. 3.19) para nos lembrar que somos barro, e podemos ser moldados por Deus quantas vezes Ele desejar (Jr. 18.6). A pandemia do COVID-19 veio para nos lembrar das nossas limitações. Atualmente estamos presenciando uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia, e no meio desta situação de calamidade, muitos ucranianos estão se convertendo, porque compreenderam que podem perder as riquezas obtidas em toda uma vida de trabalho apenas em uma explosão. Muitos ucranianos estão se lembrando que possuem uma estrutura limitada, e que nos momentos difíceis a riqueza e o poder não podem garantir a sobrevivência.


A palavra de consolo para nós é que: Ele conhece a nossa estrutura. Saiba que Deus lhe conhece, não queira ser mais forte do que a sua estrutura permite. Não queira parecer ser mais do que você efetivamente é, porque Deus nos conhece e sabe que somos pó. Confesse a sua fraqueza ao Senhor, porque é na nossa fraqueza que a graça de Deus se manifesta. Que Ele nos dê a graça de compreendermos a cada dia as nossas limitações, e que possamos nos quebrantar perante o Senhor, para que não não venhamos exaltar a força dos nossos braços nas nossas conquistas, mas que possamos adotar a atitude de João Batista, diminuir, para que o nome de Deus venha a ser exaltada em nossas vidas.


Que Deus em Cristo nos abençoe,


Ev. Sylmar Ribeiro Brito.



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo