A necessidade de instrução

E aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles.


Mateus 11:1


Quando Jesus estava com os seus discípulos, uma das suas preocupações dizia respeito sobre dar-lhes as instruções necessárias. Os discípulos não podiam agir de acordo com a sua mentalidade, mas de acordo com as instruções de Jesus.


Notamos que, em várias ocasiões Jesus deu instruções específicas acerca da prática que desejava dos seus discípulos, como por exemplo acerca da entrada em Jerusalém, a celebração da páscoa, etc. Jesus não deixava seus discípulos sem as instruções necessárias, e eles deveriam agir segundo as instruções de Jesus, pois afinal de contas, Ele é o mestre.


O apóstolo Paulo também teve a preocupação de enviar cartas pastorais a Timóteo e a Tito, para que não errassem na vida ministerial e na condução dos trabalhos da igreja. As instruções foram muito específicas e detalham os critérios para separação de obreiro, parar disciplinar os membros, para interagir com as várias classes de pessoas, etc.


Esses dois exemplos, de Jesus e de Paulo, de per si, são suficientes para exemplificar a necessidade de instruções na obra do Senhor. Os discípulos que ingressam no reino não conhecem com profundidade todas as características do meio eclesial, necessitam, portanto, de instruções para que não não causem dano e possam ter êxito nas funções delegadas.


Infelizmente, padecemos hoje em dia de uma crise institucional acerca da necessária instrução para trabalhar na obra do Senhor. Talvez em virtude da acelerada rotina dos cristãos, faltam momentos de comunhão para que as necessárias instruções sejam ensinadas. Os vídeos postados nas redes sociais não são suficientes para que a instrução seja fornecida, até porque muitas vezes tais vídeos são direcionados a públicos diferentes.


Os líderes precisam entender que os obreiros muitas vezes não sabem tudo que precisa ser feito, por este motivo Jesus e Paulo forneciam instruções precisas. Por outro lado, muitas vezes por agir por conta próprio os obreiros causam constrangimento até mesmo para a liderança. Motivo pelo qual as instruções devem ser objetivas, bíblicas e eficientes.


Precisamos instruir o trabalho diaconal, dos presbíteros e da liderança da igreja de um modo geral. O trabalho com crianças merece instrução, o trabalho com adolescentes, com jovens, etc. A avalanche de informações nesse tempo é imensa, de forma que muitas pessoas que estão trabalhando na igreja não possuem o discernimento necessário acerca do que pode e do que não pode ser feito ou dito, por exemplo.


A liderança apenas pode cobrar os liderados, depois de instrui-los de maneira adequada, pois caso contrário, formar-se-á um círculo vicioso de falta de instrução, serviço mal feito e reclamação.


Que Deus em Cristo nos abençoe,


Ev. Sylmar Ribeiro Brito.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo